Mês: Junho 2013

Dica #213 Rentabiliza a informação

Diz-se que vivemos na era da informação, temos acesso a (quase) tudo sobre (quase) tudo mas já olhaste para a informação que tens dentro da tua organização?
Sobre os teus clientes? Os teus colaboradores? As tuas actividades? 
Que valor retiras dessa informação? 
Dedica tempo a analisa-la e estudá-la. De certeza que vais retirar conhecimento util ao sucesso do teu negócio.

Dica #212 Inquéritos de Satisfação

Fui contactado por uma empresa, cujos serviços utilizei, para saber da minha satisfação. Fizeram-me duas perguntas tão vagas que me questionei: para que que me ligaram? Fazem isto a todos os clientes? Que mais-valia podem retirar daqui?
Certifica-te que retiras alguma utilidade dos inquéritos que fazes aos clientes, que não seja só por moda porque tem que ser. Se não, estás apenas a perder tempo…O teu e o do cliente.

Dica #211 O cliente merece total atenção

Assisti a uma situação em que um comercial procurava vender o seu produto a um cliente. Ia insistindo e o cliente ia recusando. Até que o telemóvel toca e o comercial atende, dedicando-se a outro cliente.
Esta situação, ainda que comum, diz muito da atenção e prioridades. 
Garante que dedicas toda a tua atenção a quem tens à tua frente, ainda que este não esteja receptivo à tua proposta. 
Depois dedica toda a atenção aos outros contactos. Ao mudares, ainda que sem quereres, sinalizas a maior ou menor importância e perdes constantemente o teu foco. Em resumo, perdes duas vezes…

Dica # 210 Apresentações

Muitas vezes somos chamados a apresentar em público, para uma plateia mais ou menos vasta, a nossa empresa, os seus produtos, uma experiência ou uma ideia.
As apresentações fazem parte da vida organizacional e não se resumem a dominar ou utilizar um software.
Quantas situações já viste em que a apresentação falhou e criou má imagem porque quem a fez não teve cuidado: com o conteúdo, com a forma, com quem ouvia…
Curiosamente, ainda que sejas o apresentador, o ponto importante não és tu mas quem está do outro lado. Pensa neles…
E por favor, não leias os diapositivos….

Dica #209 MUDA=Desperdício no talento

Um dos desperdícios mas difíceis de identificar e de abordar é o dos talentos das pessoas que compõem a tua organização. 
Seja porque desconheces quais os talentos que existem ou porque estás turvado na classificação que dás às pessoas (ela faz isto, logo não pode saber fazer aquilo). 
Tradicionalmente as organizações procuram nas pessoas a peça de puzzle que se encaixa, na estrutura que queres construir. Por isso, esquecem-se que as pessoas têm várias perspectivas sob as quais se podem analisar.
Procura corrigir e tira partido desta situação. 
Aproveita o talento que tens “em casa”. Além do aproveitamento dos recursos que já possuis, podes contribuir para a motivação e logo para o desempenho.

Dica #208 MUDA = Desperdício nos defeitos

Qualquer processo está sujeito a erros e falhas, porém eles representam custos que devem ser considerados anormais e evitáveis. Os defeitos devem ser analisados, servir de lição e ser corrigidos. 
Se um defeito se repete com frequência é duplamente preocupante. Não aprendeste e continuas a estragar recursos.
Declara guerra aos defeitos na tua actividade. Ganhas em todas as frentes…

Dica #207 MUDA=Desperdício no sobreprodução

Está atento a excesso de stocks, a produtos que não vendes, a produtos que deitas fora porque a sua validade expirou. Estas situações podem ser sintoma de decisões erradas de produção.
Revê o teu processo de decisão de produção, as tuas fontes de informação para decidir, os teus contratos.
Produzir de mais é como um barco que deixa entrar água, mais cedo ou mais tarde, se não resolveres o problema, o excesso de água afunda-te…

Dica #206 MUDA= Desperdício no sobreprocessamento

Fazer, refazer e voltar a fazer uma determinada acção ou etapa do teu processo pode parecer importante para a perfeição mas muitas vezes é perfeitamente desnecessária.

Certifica-te de que não existem actividades que se repetem ou prolonga mais do que o necessário e exigido pelo teu cliente. 
Parecer perfeito e perfeccionista é importante mas ser perfeito de acordo com os requisitos que te são colocados deve ser a pedra de toque.
Analisa o teu processo e as actividades que desenvolves e procura garantir que nada é feito mais do que o necessário, que não há actividades redundantes e desnecessárias, que não voltas a trás e repetes por razões sem fundamento…